terça-feira, 27 de dezembro de 2011

O diagnóstico





O diagnóstico


Ela falou tudo que já sabíamos, mas foi bastante duro ouvir aquilo, foi difícil ter confirmado as nossas certezas mais escondidas. No fim das contas nós tínhamos esperança, ainda que mínima e improvável, de que aquilo não fosse verdade. Queríamos acreditar que nossas certezas não passavam de desconfianças bobas, queríamos que ela dissesse: “que bobagem, vocês pensavam nisso? Não, é muito mais simples e menos grave”.


Mas esse era o nosso desejo, e não a realidade. Ela confirmou o diagnóstico sombrio que tanto temíamos mas no fundo tínhamos conhecimento. Não foi nenhuma surpresa, mas ainda assim foi chocante. A consulta acabou, mas o diagnóstico não era o fim, era apenas o começo de uma enorme e duradoura luta.



[Mente Hiperativa]

2 comentários:

  1. A verdade as vezes dói, né? Mas ela é tipo um tapa na cara, algo como "acorda pra vida, amigo". As vezes ela exige demais, outras é injusta, mas é a verdade. E é isso que a realidade exige.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião: