segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

A natureza do mal



A natureza do mal


Só ele sabe o quanto luta diariamente contra sua natureza destrutiva, só ele sabe o quanto é difícil tentar não fazer mal às pessoas, o quanto é difícil lutar e lutar, em vão. Ele tem o sangue ruim correndo nas veias e sabe disso, pulsando dentro dele há uma ruindade latente que ele insiste em encobrir, que ele tenta a todo custo sufocar.


É difícil, é doloroso, mas ele tenta impedir que essa coisa ruim brote e vigore em seu ser. E apesar dos seus esforços ela sempre arruma uma maneira de se manifestar através de lapsos independentes da sua vontade, de uma forma ou de outra ele acaba fazendo o mal, queira ou não queira, acaba machucando, ofendendo, chateando, magoando as pessoas que lhe amam.

Será uma praga de família? Uma maldição? Genético ou fruto da (má) educação? Não há respostas para sua dúvida, só há uma certeza, ele é ruim, ruim, por mais que tente e se esforce pra ser o contrário. E na sua cabeça martela a dúvida todos os dias: ‘até quando eu vou agüentar? Até quando eu vou conseguir me desviar dessa “missão” ou desse “karma”?’

Ele olha ao redor, seus familiares parecem se orgulhar de ser do jeito que são, apenas ele tenta lutar com todas as forças pra não ser desse jeito, mas até quando conseguirá? Essa dúvida o aflige e tira o seu sono. Um dia ele pode acabar sucumbindo... E deixando o mal fluir em todas as suas atitudes.


Nota: Imagem em alusão ao filme "The Hamiltons", traduzido oficialmente para o português como "Anjos do mal".


[Mente Hiperativa]

4 comentários:

  1. eu tenho um pouco de anjo do mal dentro de mim
    o bem q eu qero fazer eu n consigo mas o mal q eu nao qero ...ahh esse eu acabo fazendo...

    ResponderExcluir
  2. Todos tem o mal dentro de si
    disso não há dúvida neh amigo
    a diferença é que alguns
    conseguem domá-lo

    outros deixam que ele tome conta,!
    abraçoss

    Dan

    ResponderExcluir
  3. Tomara que ele consiga domar o lado mal. Quem sabe até mude o resto do seu sangue. Ou não. Quem sabe...

    ResponderExcluir
  4. Quem sabe, né? Quem sabe ele, na verdade, seja uma pessoa boa lutando contra a imposição de ser mal? A ovelha negra da família; ou melhor, a ovelha branca dentre tantas negras. Nossa natureza a gente não escolhe, mas nossos frutos a gente cultiva.

    Fica bem (:

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião: