sábado, 12 de janeiro de 2013

Sexo: uma perda de tempo inevitável!



Sexo: uma perda de tempo inevitável!

O sexo é um grande atrapalho na vida, antes mesmo de praticá-lo já nos vemos às voltas com o nosso corpo, encontramos mil defeitos, nos envergonhamos dele e evitamos expô-lo desnecessariamente. Desde o principio sentimos medo da rejeição, tememos que o outro não nos aprove e nos deixe por conta disso.

Depois dessa fase começa a busca incessante por outra pessoa, queremos não apenas conquistá-la, mas também ser desejado, elogiado, saciado em nossas vontades primitivas e desejos proibidos. Procuramos alguém que nos agrade, mas é difícil encontrá-la uma vez que aquela pessoa bonita parece muito arrogante, a simpática é muito baixinha e desengonçada, a que tem um belo corpo é feia de rosto; a única que nos atrai em todos os sentidos é comprometida ou não sente atração por nós. Mas continuamos a busca.

Enfim, depois de ter perdido boa parte da vida procurando, um dia conhecemos alguém que nos completa e nos dá o amor que tanto esperamos. Então não demora muito até passar ao nosso lado um par de coxas atraentes, donas de um olhar sedutor, e jogamos tudo pra cima em troca de algumas horas de prazer. Assim, logo colocamos tudo a perder. E não é que o amor tenha fraquejado nesse momento de infidelidade, ele se mantém forte como antes, mas o desejo falou mais alto e nos revelou alguma insatisfação até então escondida. Depois dessa escapada, se não conseguimos contornar o conflito gerado, voltamos à estaca zero e toda busca se inicia novamente.

Caso tenhamos superado a fase de aventuras paralelas, seja por omissão ou próprio enfrentamento da questão junto ao outro, inevitavelmente com o passar dos anos a relação acaba por entrar numa fase de estagnação na qual o desejo esfria e torna o sexo menos intenso e aproveitável. É chegado o outono da vida, momento em que a relação se torna mais sedenta por companheirismo do que noites regadas a fantasias sexuais condenáveis e libidinosas. Assim, o sexo se enfraquece.

Desse modo, o sexo nos faz perder boa parte do tempo à procura de migalhas de prazer. Muitas vezes largamos tudo que foi construído pelo amor em troca de uma noite ardente, e no dia seguinte sofremos um remorso absurdo devido a tamanha loucura que foi cometida. O sexo é bom, muito bom, mas a maior parte da vida adulta envolve rejeição, música triste e pornografia ruim; somos movidos pelo sexo, mas ele não nos leva a lugar algum. Às vezes é sensato concluir que seria melhor não sentir o prazer sexual, mas o que fazer se o desejo insiste em correr nas nossas veias e pulsar no nosso corpo? Como não se entregar a ele?

Não adianta lutar contra, o sexo é uma perda de tempo inevitável!

[Mente Hiperativa]

4 comentários:

  1. tema polêmico e instigante.
    Mas eu não concordo que o sexo seja uma perca de tempo, acredito q a vida só de amor, afetos carinhos sem a questao do corpo seria espiritualizar demais a coisa, subjetivar demais.
    Somos corpo e não devemos nos esquecer disso, embora vivemos como se fossemos apenas mente...
    Essa cisão corpo mente, sexo amor que nos acompanha é dilema desde a época dos filósofos pré socráticos.
    É ...VIVER É COMPLICADO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De uma forma ou de outra o sexo é inevitável...

      Excluir
  2. Inevitável até - e talvez principalmente - quando é evitado...

    Mas discordo que alguma pessoa complete outra, senão cada um(a) a si mesmo(a)...

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. conheci uma mulher no whatsapp, ainda bem que nossa relação ficou ruim e nos bloqueamos pois só ficava teclando no trabalho com ela.
    sexo, busca por ser desejado e ter afetividade é sem duvida um lixo. Nesses tempos onde o trabalho e o estudo estão cada vez mais exigentes, a busca por sexo é um grande obstaculo.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião: