sábado, 28 de abril de 2012

As mais belas declarações de amor são ditas no silêncio das palavras


As mais belas declarações de amor são ditas no silêncio das palavras 

Hoje em dia dizer ‘eu te amo’ é tão natural quanto dirigir embriagado ou encontrar uma notícia de corrupção estampada nos jornais. Algumas pessoas dizem ‘eu te amo’ para o primeiro bêbado-desconhecido que lhe dá um beijo, ou para aquela pessoa com a qual passou uma única noite na vida, e pouco conhece dela. Às vezes comete-se o absurdo de dizer que ama alguém que nunca conversou, viu, ou teve qualquer tipo de envolvimento. E eu não sei o que leva as pessoas a esse tipo de atitude, talvez seja carência, protocolo, falsidade, ou simplesmente rotinização. Talvez o amor tenha de fato perdido o sentido pra muita gente e esteja se confundindo com paixão, desejo, interesses e conveniências.

É preciso abrir os olhos e encarar que a superficialidade está tomando conta da nossa cultura, sociedade e relações. E isso realmente me assusta bastante.

Eu sempre tive dificuldade de expressar meus sentimentos, sobretudo com palavras, porém com o tempo eu venho aprendendo a lidar com isso. Hoje ainda desperto a insegurança e incompreensão de muitas pessoas que não conseguem decifrar o que sinto em relação a elas. Elas precisam de palavras, afirmações de que as amo, mas muitas vezes eu não sei falar com palavras, só com atitudes. Será que todo mundo sabe ler tais demonstrações?

Às vezes penso que essa dificuldade me faça enxergar o mundo diferente da maioria das pessoas, de forma mais cética, e faça eu me recusar a entrar nesse modelo de produção em série do amor, de amor fácil e pseudo-espontâneo, que se reproduz mais rápido que bactérias, sem exigir qualquer sentimento ou consistência da relação. É o amor que não é amor, é banal, é só palavra, sem substrato. E é claro que isso não dura, logo a pessoa estará dizendo eu te amo a outro, e outro, e outro...

Dizer ‘eu te amo’ é fácil, e não tem mais o valor de antigamente, tornou-se tão corriqueiro, tão freqüente, que perdeu o sentimento próprio da palavra. Por isso hoje em dia apenas falar é pouco, é preciso provar que se ama. E há quem ainda pense que prova de amor é colocar uma faixa escrita ‘eu te amo’ na frente da casa do dito(a) cujo(a), uma bela e emocionante mensagem fonada, três mil pétalas de rosas jogadas de um helicóptero, ou quem sabe uma jóia caríssima. Isso não é prova de amor, e é tão superficial quanto as próprias declarações de amor.

Diante disso, fico observando não mais as palavras que ouço, não dou tanto cartaz aos ‘eu te amo’ que escuto, apenas observo, e observo atentamente, pois as mais belas declarações de amor são ditas no silêncio das palavras. Quem ama não precisa repetir um mantra nem lembrar o outro a todo instante que o ama, embora possa fazê-lo. Amar é ter atitude, é demonstrar, ao invés de falar. Quem ama se sente amado e tem a certeza desse sentimento, e enxerga ele em cada atitude do outro, seja num carinho, num gesto de apoio, num beijo, numa atitude de atenção, ou num simples ‘oi’.

O amor deve ser algo maior do que uma frase, e nunca caberá todo nela. Ele precisa de mais espaço, e o ganha nas atitudes cotidianas, pequenos gestos, companheirismo, na conversa, no toque. Por essas e por outras que confio mais nos atos do que nas palavras, espero ser amado, espero ouvir que sou amado, mas observo atentamente se as palavras condizem com as condutas, e se essas são sinceras. É preciso ficar esperto, pois hoje em dia qualquer um ama qualquer um, em tese, mas amor verdadeiro e sincero, ah, esse tá difícil de encontrar.

[Mente Hiperativa]

7 comentários:

  1. amores liquidos de hj (baumam , lembra?) ....seriam mesmo menos amor que o amor romântico pregado pelos poetas e cristãos?

    nao me acho no direito de julgar qualqer forma de amar...
    AFINAL O QUE É O AMOR?
    NAO DIGO NEM QUE OS AMORES LIQIDOS NAO SEJAM AMOR, MAS SAO O AMOR Q NOSSA SOCIEDADE HEDONISTA E FLUIDA PRODUZ .

    nao gosto de ser saudosista em relaçao ao amor romantico, acho que CADA SUJEITO DEVE ENCONTRAR A FORMA DE AMOR Q LHE CABE ...
    Inclusive agente discute muito isso em analise - as formas de amar de cada sujeito hj e da sociedade contemporanea.

    tem uma musica da marria rita que diz - o que é o amor ?

    gosto muito dela .. deixo a letra pra vc meditar

    O Que É o Amor?
    Maria Rita

    Se perguntar o que é o amor pra mim
    Não sei responder
    Não sei explicar
    Mas sei que o amor nasceu dentro de mim
    Me fez renascer
    Me fez despertar
    Me disseram uma vez
    Que o danado do amor
    Pode ser fatal
    Dor sem ter remédio pra curar
    Me disseram também
    Que o amor faz bem
    E que vence o mal
    ATÉ HOJE NINGUEM CONSEGUIU DEFINIR O QUE É O AMOR


    Quando a gente ama, brilha mais que o sol
    É muita luz
    É emoção
    O amor
    Quando a gente ama, é um clarão do luar
    Que vem abençoar
    O nosso amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não tive oportunidade de ler o Bauman. Mas se o amor dele for esse pseudo-amor que vemos banalizado na sociedade contemporânia, eu discordo dele.

      Acredito no amor sem moldes extremistas, nem amor romântico do séc XVIII, nem pseudo-amor com justificativas nos modelos socioeconômicos da sociedade contemporânea. Amar é sentir, e tem quem não queira sentir ou simplesmente não sente, esses preferem chamar de amor a segurança e estabilidade que têm com determinada pessoa, as conveniências justificadas no modelo da sociedade em que se inserem.

      E, sinceramente, se eles querem dizer que isso é o amor deles, QUEM SOU EU pra dizer que não é amor??? Eu não digo nada, só não permito que me imponham esse tipo de amor prático e sem sentimento.

      O amor é indefinível, é difícil, mas o que não é amor a gente sabe bem.

      Excluir
  2. amor é um pretexto das mulheres para serem sustentadas. Tá tenho uma visão pessimista, mas sei lá, só acredito numa possibilidade normal de amor com entrega de ambas as partes, o que é raro de se ver hoje em dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita que você superou todas as minhas expectativas de pessimismo.... Mas sem essa de ser sustentada, hoje em dia mulher trabalha e se sustenta. O amor é mesmo complicado e, por vezes, até inviável. Eu poderia falar horas e dias sobre o amor e não chegaria a nenhuma conclusão. É difícil, mas a questão da entrega é essencial, como você colocou, e eu acredito que possa se realizar, ainda que de forma lenta e gradual. Assim eu espero que seja.

      Abraço

      Excluir
    2. o humano sempre quer nomear o inomeável - o amor, a mulher e a morte... enigmas que nem o melhor dos poetas ou teóricos será capaz de decifrar! por que as respostas... a sao tao diversas quantos humanos houver no mundo, quantas estrelas do céu...

      Excluir
    3. Então não nomeie, apenas sinta.

      Excluir
  3. Um gesto vale mais que mil palavras..

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião: